PRÉMIO MARIA TERESA PALHA

PERSONALIDADES DISTINGUIDAS EX-AEQUO COM O PRÉMIO MARIA TERESA PALHA NO ANO DE 2018

  • Professor Doutor João Carlos Gomes-Pedro
  • Doutora Maria Da Graça Da Veiga Ventura De Campos Andrada
  • Professor Doutor David José Casimiro De Andrade

Leia o artigo completo para saber de que forma é que estas individualidades se distinguiram no apoio a crianças, adolescentes e adultos com Perturbações do Neurodesenvolvimento.

A Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21, enquanto instituição particular de solidariedade social de referência, tem, como principal objetivo, a construção de uma sociedade inclusiva, capaz de concretizar o nobre ideal da Valorização das Diferenças, conceito assente na presunção de que é possível converter uma diferença geradora de uma desvalorização social num enaltecimento diferenciador e sedutor. O Prémio Maria Teresa Palha, a atribuir anualmente, com início no ano de 2018, tem como finalidade reconhecer individualidades que, pela sua relevância e pelo trabalho desenvolvido, tenham contribuído de forma decisiva e com particular impacto no apoio a crianças, adolescentes e adultos com Perturbações do Neurodesenvolvimento, quer através de uma abordagem teórica (introduzindo novos conceitos e metodologias; modificando as mentalidades; etc.), quer por meio de uma abordagem prática (apoio directo; etc.).

 

PROFESSOR DOUTOR JOÃO CARLOS GOMES-PEDRO

Pediatra, Professor Catedrático jubilado de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e ex-director do Departamento da Criança e da Família do Hospital de Santa Maria, discípulo do insigne Prof. Berry Brazelton, fez estágios de especialização no Reino Unido e nos Estados Unidos da América, e foi pioneiro, juntamente com a Doutora Maria da Graça Andrada, na área do neurodesenvolvimento infantil em Portugal. João Gomes-Pedo exerceu uma influência notável e um magistério de incomparável dimensão na Pediatria nacional ao divulgar a até então não reconhecida ou mesmo ignorada emocionalidade do bebé. Com Gomes-Pedro, os pediatras, até então preparados de uma forma clássica, ou seja, para o estrito controlo das variáveis orgânicas, passaram a valorizar as variáveis comportamentais, emocionais, familiares, sociais, culturais e outras relativas ao bebé e à sua família, ou, seja, passaram a olhar para o bebé e sua circunstância. Gomes-Pedro influenciou, assim, gerações de futuros pediatras, ensinando-os a perscrutar a “alma” do bebé. Gomes-Pedro e Berry Brazelton foram os instituidores da Fundação Brazelton/Gomes-Pedro para as Ciências do Bebé e da Família, organização privada, sem fins lucrativos. Em 1999, foi agraciado por Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa (Grande Oficial da Ordem do Mérito); em 2002, foi novamente agraciado por Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa (Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique). Pelo seu contributo relevante na área do neurodesenvolvimento, Gomes-Pedro foi nomeado Sócio Honorário da Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21. 

 

DOUTORA MARIA DA GRAÇA DA VEIGA VENTURA DE CAMPOS ANDRADA

A Doutora Maria da Graça Andrada é licenciada e doutorada pela Faculdade de Medicina de Lisboa na área da Pediatria. Especialista em Pediatria (Hospital de Santa Maria), fez, também, formação especializada em Reabilitação Infantil no prestigiado New York University Medical Centre. Foi Diretora Clínica do Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral Calouste Gulbenkian (CRPCCG) entre 1961 e 2002. Jubilada em 2002, tem permanecido, desde então, activamente ligada ao CRPCCG (bem como à Federação das Associações Portuguesas de Paralisia Cerebral) como consultora e investigadora em serviço de voluntariado. Foi ainda fundadora e Directora do Serviço de Reabilitação Pediátrica e Desenvolvimento do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão (1966-1989), Presidente da Direcção Nacional da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral e da Comissão Instaladora da Federação das Associações de Paralisia Cerebral (1997-2009). Clínica de invulgar mérito, Maria da Graça Andrada é considerada, muito justamente, como uma das maiores autoridades mundiais na área da Paralisia Cerebral, patologia à qual se dedicou de uma forma inexcedível e com uma generosidade incomparável. Foi agraciada por Sua Excelência o Presidente da República com o Grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique (1988) e pelo Senhor Ministro da Saúde com a Medalha de Ouro por Serviços distintos na área da Saúde (2006). Foi-lhe atribuído o Prémio Homenagem 2005 da Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (2006) e a Medalha de Mérito da Ordem dos Médicos. É ainda Sócia Honorária da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Lisboa (APCL), da Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 e da European Bobath Tutors Association (EBTA).

 

PROFESSOR DOUTOR DAVID JOSÉ CASIMIRO DE ANDRADE

Licenciado em Medicina e licenciado e Doutorado em Medicina Dentária pela Universidade do Porto, David Casimiro de Andrade é Professor Associado com Agregação da mesma academia. No tempo presente, é o Regente de Odontopediatria da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto. É autor do livro “Textos Escolhidos de Odontopediatria”, obra extensa, complexa e muito completa, de conteúdo científico absolutamente excepcional e inovador, e que, por isso, tem merecido os maiores encómios e um justo reconhecimento por parte da comunidade internacional especializada no assunto. David Andrade é considerado uma das maiores autoridades mundiais em matéria de medicina dentária ligada à trissomia 21. O seu extraordinário conhecimento na área da trissomia 21, associado a uma invulgar perícia técnica, haveria de culminar numa surpreendente proposta à comunidade científica para a resolução do conhecido, frequente incapacitante e estigmatizante problema da macroglossia (língua grande): em vez de reduzir o conteúdo (mediante a habitual glossectomia, ou seja, literalmente, a ablação de uma parte da língua, procedimento cirúrgico muito problemático), David Andrade postulou que seria mais fácil e eficaz aumentar-se o continente, ou seja, expandindo o maxilar superior, com o recurso a aparelhos já utilizados pela medicina dentária desde o início do século XX (embora redesenhados no presente). Como consequência do seu extraordinário contributo científico, bem como pela sua dedicação generosa e incondicional às crianças com trissomia 21, David Andrade foi nomeado Sócio Honorário da Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21.